Companhia

Publicado em Maio de 2011
Só sabe dar valor a uma boa companhia quem já esteve sozinho.

Passar boa parte das horas do dia sozinho, definitivamente, não é uma boa ideia.
Concordo quando dizem "é bom ficar um pouco sozinho...". Mas é justamente esse o ponto chave: Um pouco! Não muito!

Nos momentos que estou na faculdade, acabo ficando sozinho, no meu canto. Não falo quase nada com meus colegas. Quando falo algo, é referente a aula ou a algum trabalho ou prova. Nada além disso. Não me sinto confortável lá, não posso ser eu mesmo.
Quase o mesmo ocorre onde trabalho. É como se estivéssemos em universos completamente diferentes. Converso sobre tecnologia, programação, trabalho em si. Quando o assunto tende pro lado pessoal, prefiro ficar fora para não ser trollado. São pessoas legais, mas absolutamente diferentes de mim.

Me faltam amigos? Afirmo categoricamente que NÃO!
Poucos, porém bons!
Mas as atuais circunstâncias complicam um pouco a situação. Tenho contato com meus amigos apenas, ou em grande parte, por MSN (o certo é Windows Live Messenger, eu sei).
Para alguns amigos, o MSN é realmente o melhor meio de manter contato, afinal estão espalhados pelo Brasil. Alguns longe, outros perto. Juiz de Fora, Pelotas...
Tenho também os amigos daqui de Rio Grande, que estão a 17 quadras de distância ou a 50 metros. E, por incrível que pareça, mesmo com pouca distância, mantenho mais contato por msn do que pessoalmente. Motivos? Cada um tem seus compromissos, seus horários, suas prioridades... Acabam sendo raros os encontros.
Concordo que, no caso de grandes distâncias, o MSN é de grande valia, mas mesmo assim, falta algo. Enviar um "^^" por MSN é fácil, mesmo que a pessoa não esteja assim no momento. O que quero dizer é que, por MSN, nem sempre expressamos o que realmente sentimos. Por exemplo: Não da pra saber se um "ola" foi dito num tom alegre ou num tom triste, num tom afável ou num tom ríspido.
Enfim, a internet ajuda, encurta distâncias, mas ainda assim não substitui uma boa companhia.

Já tive ótimas companhias, longos momentos nerds. O ápice foi de 2005 há 2008. Na época, não me importava muito com a companhia, afinal, o ser humano só dá valor quando perde ou quando falta. Hoje vejo de forma diferente. Ficar muito tempo sozinho é, sim, prejudicial. A mente se acostuma e começa a montar suas peripécias peculiares.

Não te esqueças que um dia teus amigos podem não estar mais tão próximos como estão agora (ou como já foram próximos). As circunstâncias podem fazer com que ambos se afastem geograficamente. E ai ambos perceberão o valor de uma boa companhia.

Como de costume, deixo cá minhas perguntas:
Tens valorizado tuas companhias? Aproveitado os momentos que estão juntos?
Tens feito o possível para passar algum tempo com teus amigos?