Tesouros

Publicado em Setembro de 2011
É incrível como o ser humano adora perder seus tesouros...
Desde a antiguidade, alguns indivíduos guardavam seus pertences em baús, escondiam-os, e montavam um mapa para posteriormente encontra-los...
Pra quê? Pra ficar sem estes pertences enquanto vivos e para outros acharem?
Mas não é sobre esse tipo de tesouro que quero falar. Quero falar sobre os nossos tesouros diários.
Tesouros que temos e que não damos o devido valor.
Tesouros que não foram feitos para serem trancados em baús de forma que o mundo não os ache.
Tesouros sem mapa.
Tesouros com valor incalculável.


Já tive um tesouro e não aproveitei o suficiente.
Uma companhia, um irmão.
O tesouro que perdi não foi a amizade nem a pessoa, mas sim o tempo. Tempo este que poderia ter sido melhor empregado.
No final acabei não dando o valor que realmente merecia...
Mas pelo menos Deus me deu novas oportunidades. Tanto para recuperar o tesouro de outrora quanto para agregar mais moedas a esse tesouro.
Obviamente não me deu mais tempo, mas sim a consciência de não perder mais tempo... De usar o meu tempo para coisas que realmente valham a pena. A consciência de que vale a pena investir (perceba, "investir" e não "gastar") 3~4h para gerar 1h de alegrias e lembranças.

Vejo hoje pessoas que perdem seus tesouros...
Amizades que terminam por besteria. Famílias que se desmancham por egoismo. Namoros que terminam por orgulho.
Me refiro por tesouro tanto ao fato de haver a relação quanto às pessoas envolvidas.
A relação por si só já deveria ser tratada como tesouro por todos!
E quanto às pessoas envolvidas, algumas delas são grandes tesouros. Tesouros mesmo! Daqueles raros.
Mas, como disse no inicio, o ser humano gosta de perder seus tesouros... Perder por mérito próprio!
Na verdade não sei se "perder" seria a denominação correta. "Perder" sugere que algo tenha saído de nossa posse sem que essa fosse a nossa vontade. Acho que uma melhor definição seria "jogar fora".
O ser humano gosta de jogar fora seus tesouros. Por não saber lidar com as situações da forma correta. Por não saber priorizar as coisas. Por síndrome de posse. Por egoismo. Por orgulho.

Finalizando:
Tens valorizado teus tesouros? Tens feito o possível para não perde-los?
Ou melhor: Tens claro em tua mente quais são teus verdadeiros tesouros e quais são os falsos?

Eu tenho feito o possível (e, em alguns momentos, o quase-impossível) para não perde-los (ou joga-los fora)...
Espero que algum dia, alguém olhe para mim e dia: "Obrigado por ter me feito ver qual o meu real tesouro!"
Os meus, definitivamente, não jogo fora.